sábado, 5 de abril de 2008

Por que perdoar?

"Assim como o Senhor vos perdoou, assim também perdoai vós". Cl 3.13

Não é raro ouvirmos que entre tudo que deve permear a vida do crente, o que há de mais difícil de ser praticado é o perdão.
É por isso que gostaria de lhe dar alguns bons motivos para você exercitar a doutrina do perdão.
1. O ENSINO DA ESCRITURA. Se este livro tem, efetivamente, autoridade sobre você, pelo seu reconhecimento de que se trata da Palavra de Deus, cuide de atender para o seu enfático ensino sobre o perdão aos ofensores. Lucas 6:37 – “Não julgueis e não sereis julgados; não condeneis e não sereis condenados; perdoai e sereis perdoados;”. Colossenses 3:13 – “Suportai-vos uns aos outros, perdoai-vos mutuamente, caso alguém tenha motivo de queixa contra outrem. Assim como o Senhor vos perdoou, assim também perdoai vós”.
2. SUA FALIBILIDADE. Você é tão falho quanto aquele que o ofendeu. Hoje você é quem perdoa ao seu próximo; amanhã você é quem vai necessitar do perdão dele. Se assim é, não pode deixar de perdoar hoje, aquele que amanhã vai carecer de perdão. Um certo homem que, irritado com o seu servo, disse explosivamente: “eu nunca perdôo”, ouviu João Wesley replicar: “espero que o senhor também nunca erre”. Gálatas 6:1 – “Irmãos, se alguém for surpreendido nalguma falta, vós, que sois espirituais, corrigi-o com espírito de brandura; e guarda-te para que não sejas também tentado.”
3. A EXIGÊNCIA QUE DEUS FAZ PARA PERDOAR. Estas palavras de Jesus, esclarecendo apenas um dos nossos pedidos feitos na oração ensinada por ele mesmo, de tão claras que são, já dizem tudo: “porque, se perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai celeste vos perdoará; se, porém, não perdoardes aos homens (as suas ofensas), tão pouco vosso Pai vos perdoará as vossas” (Mt 6.14,15).
4. A NECESSIDADE PARA QUE NOSSA OFERTA SEJA ACEITA. Que tipo de coração quer Deus diante d’Ele quando formos lhe entregar nossas ofertas? Um coração cheio de mágoas e incapaz de perdoar teria sérias dificuldades em dedicar sua oferta ao Senhor. E então? Deixar de ofertar? Não, este não é o ensino de Jesus. Mateus 5:23 e 24 – “Se, pois, ao trazeres ao altar a tua oferta, ali te lembrares de que teu irmão tem alguma coisa contra ti, deixa perante o altar a tua oferta, vai primeiro reconciliar-te com teu irmão; e, então, voltando, faze a tua oferta”.
5. O PRÓPRIO EXEMPLO DO SENHOR. Ele perdoou aos que praticaram a mais grave, a mais infame das ofensas de quantas foram praticadas debaixo do sol. Perdoou o pecado com que nós, indignos pecadores, ofendemos à Sua imaculada santidade, e nos fez livres da culpa do pecado original. Paulo apela, no texto acima referido, para a força deste exemplo singular.
Será que estes motivos não bastam? Que tal exemplo nos constranja! Que exerçamos o perdão, no exemplo de Cristo que nos perdoou!
Autor: Rev. Edilson Olive Ramos

1 Comentário:

kelly oliveira disse...

Pois, é!!! Em nome de Jesus declaro que sou um ser capaz de perdoar, mas eu não consigo!!!
Queria poder tratar isso com um alguém. E queria poder perdoar...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Parceiros

Plano Missionário Cooperativo da Igreja Presbiteriana do Brasil

Presbitério de Nilópolis
Este blog possui atualmente:
Comentários em Artigos!
Widget UsuárioCompulsivo

  ©IPCM - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo